Buscar

Lei# 14 da Agrofloresta: EVITE FUÇAR NO SOLO

Certa vez, durante um preparo de solo em terra muito argilosa e seca, um tratorista insistiu em passar a grade com o pé afundado no acelerador. Esse foi o resultado:


O solo é um ecossistema complexo no qual interagem diversos atores:


· Raízes de plantas

· Pequenos animais

· Microrganismos

· Partículas de argila, silte e areia

· Minerais

· Água

· Gases


À interação entre todos esses fatores se dá o nome de biocenose. É uma interação equilibrada por natureza, composta por diversos processos que tornam o ambiente cada vez melhor, tudo isso alimentado em primeira instância pela luz solar, através da fotossíntese das plantas.


Quando o solo sofre distúrbios, no entanto, toda essa atividade é modificada drasticamente. Um revolvimento do solo realizado por trator tem as seguintes consequências no solo:


· Super oxigenação

· Destruição de agregados de partículas

· Aceleração da decomposição da matéria orgânica

· Diluição da matéria orgânica

· Compactação de camadas sub-superficiais

· Insolação

· Erosão

· Aumento da suscetibilidade à compactação


Nas zonas tropicais, fuçar no solo tem 3 propósitos, e 3 apenas:


1. Desfazer camadas compactadas

2. Incorporar fertilizantes

3. Preparar o leito de plantio


Note que em nenhum momento eu falei em “melhora a estrutura”, “afofar” ou “revolver” o solo. Esse trabalho é das minhocas, besouros e microrganismos.


Ninguém prepara o solo melhor do que os microrganismos, pequenos animais e raízes de plantas. Devemos deixar que eles realizem o seu trabalho, evitando atrapalhá-los. Dentro da lógica agroflorestal, o preparo de solo é uma ferramenta inicial para o início de um sistema em área degradada com solo compactado, onde você quer incorporar adubos e desfazer camadas compactadas. Mas lembre que quem vai realizar o trabalho verdadeiro de melhorar o solo é a própria vida. O seu trabalho é criar condições para que esse vida possa trabalhar de maneira eficiente.


Quando você tem sistemas agroflorestais já bem desenvolvidos, com anos de depósito de matéria orgânica e atividade biológica, você vai notar que o a superfície do solo começa a se estruturar em grumos, que são as estruturas ideais para potencializar o enraizamento, a retenção de água e disponibilidade de nutrientes. Uma enxada rotativa ou grade pode destruir esses grumos. Um arado enterra essa camada e expõe uma camada morta do solo.


Mas o que faço se preciso replantar em um solo já estruturado?

Neste caso, você segue esta lei: evite fuçar no solo. Você vai fuçar o mínimo possível. Vai utilizar o que chamamos de plantio direto: prepare apenas o leito de plantio para as suas plantas. Você vai afofar só o suficiente para inserir a sua semente ou muda no solo. Não são necessários mais do que 5 a 8cm de profundidade para isso.


Entenda que na condição de uma agrofloresta já estabelecida, a vida no solo tem trabalhado incessantemente para tornar este melhor. Uma passada de máquina sem necessidade joga todo esse trabalho na privada. É como despejar óleo usado nos pratos que você acabou de lavar.


Evite fuçar no solo.