Buscar

Lei da Agrofloresta #12: ALIMENTE SEUS MICRORGANISMOS


Orelha-de-pau participando da decomposição de madeira depositada sobre o solo

Quanto mais estudo sobre biologia de solo, menos parece que sei, mas uma coisa fica clara: quem comanda a festa abaixo da superfície do solo são os microrganismos. Sem eles, a vida deixa de ser. Antes de ser um agricultor, você deve ser cultivador de fungos e bactérias.


A relação entre as plantas e os microrganismos é tão antiga quando as próprias plantas. Se acredita que o cloroplasto (a parte da célula que realiza a fotossíntese) era uma bactéria de vida livre que entrou em simbiose com os ancestrais das plantas terrestres. Ou seja, o próprio surgimento das plantas dependeu de uma interação com um microrganismo.


Essa interdependência é extremamente antiga e até hoje as plantas dependem de diversas interações com microrganismos para manterem sua vitalidade. A troca é simples: as plantas fornecem açúcar e eles fornecem minerais, vitaminas, aminoácidos e toda uma gama de substâncias que as plantas necessitam para crescerem e serem saudáveis.


POTENCIAIS EFEITOS DE UMA MICROBIOTA DE SOLO SAUDÁVEL


· Disponibilização de fósforo

· Solubilização de potássio

· Fixação de nitrogênio

· Estruturação do solo

· Aumento do alcance radicular

· Proteção contra doenças

· Promoção do crescimento das plantas

· Mineralização de nutrientes


Todas as operações no seu campo devem ter o propósito primeiro de enriquecer essa microbiota, pois a saúde das plantas depende disso. Existem 2 maneiras principais para você alimentar seus microrganismos:


1. FOTOSSÍNTESE - Os microrganismos dependem dos açucares produzidos pelas plantas. Portanto, quanto maior o nível fotossintético no seu campo, mais alimento para os microrganismos. Na Agrofloresta, fazemos isso através de consórcios entre plantas, seguindo os princípios da estratificação e sucessão de espécies, além da realização de podas periódicas.

2. APORTE DE MATÉRIA ORGÂNICA - Além dos açucares fornecidos diretamente pelas plantas, a matéria orgânica depositada sobre solo também serve de alimento para eles. Ainda mais importante: esta matéria orgânica mantém níveis de temperatura e umidade adequados para a vida no solo, que se descoberto pode chegar a temperaturas de 70oC. Através de podas periódicas na sua Agrofloresta, você terá um aporte constate de matéria orgânica.


Esses 2 pontos devem ser a base do seu. Para acelerar o processo, especialmente quando se lida com solos muito degradados, pode-se fazer a sua inoculação com microrganismos eficientes (EM), que podem ser comprados ou capturados em solos florestais. Mas é importante ressaltar que de nada vale a inoculação se seu campo não tem condições ótimas de desenvolvimento destes microrganismos. Portanto, em primeiro lugar, crie estas condições.



Mas fungos e bactérias não causam doenças nas plantas?

“Uma planta está doente ANTES de ser atacada e continua doente mesmo quando o parasita está morto, tanto faz se foi morto por um agrotóxico, uma calda orgânica ou um inimigo natural. Todos controlam somente o parasita, mas não curam a planta.”

Ana Primavesi


Fungos e bactérias tem UMA função principal: decompor restos orgânicos. Da mesma forma como você é atraído pelo cheiro de ume feijoada, fungos e bactérias são atraídos por células em decomposição. Ana Primavesi nos ensina que o surgimento de patógenos nas plantas é o SINTOMA da planta doente e não a doença em si. A planta doente tem sua organização molecular incompleta, sendo incapaz de manter suas células íntegras, atraindo fungos e bactérias, que estão prontos para digeri-las. O patógeno é a consequência, não a causa, e surgem justamente por um desequilíbrio causado no ecossistema. Uma microbiota de solo saudável traz saúde para a planta, que se torna resistente à pragas e doenças.


Alimente seus microrganismos.